Imprimir

Cientista investiga uso de maconha no tratamento da artrite

Maconha e ArtriteDescobrir se a maconha pode auxiliar na recuperação de articulações afetadas pela artrite. Este é o objetivo do pesquisador canadense Dr. Jason McDougall.

Professor do Departamento de Farmacologia e Anestesia da Dalhousie University, ele pretende utilizar sua bolsa de estudos pela Arthritis Society para investigar os benefícios da cannabis no tratamento da dor causada pela artrite.

Imprimir

Maconha é promissora no tratamento de câncer cerebral

Maconha e câncer cerebralPesquisas em ratos mostraram que a droga pode ser promissora na redução do crescimento de gliomas.

Glaucoma, dor, náusea, perda de apetite, epilepsia e esclerose múltipla: a lista de doenças para as quais a maconha medicinal tem sido apontada como promissora no tratamento pode aumentar em pouco tempo, segundo novos estudos, apesar de que ainda hoje não haja um ensaio clínico forte nos Estados Unidos. As informações são do IFL Science.

Imprimir

Canabinol (CBN): O Canabinoide que o faz sonolento

CBN maconhaO que é Canabinol (CBN)?

Quando olhamos para a "construção" da cannabis, nós achamos que ela tem mais de 80 canabinóides. Até recentemente, tetrahidrocanabinol (THC) foi o único canabinóide, ninguém parecia se preocupar com os outros. Felizmente uma pesquisa recente, em particular sobre o canabidiol (CBD), provocou um intenso interesse em todos os canabinóides.

Como é o caso em muitos dos canabinóides conhecidos, cannabinol (CBN) decorre do ácido cannabigerolic (CBGA) na cannabis em natura. A planta produz naturalmente enzimas (aka synthases) que convertem o CBGA a um dos três principais canabinóides: ácido carboxílico canabicromeno (CBCA) , ácidos carboxílicos canabidiol (CBDA), e ácido carboxílico tetrahidrocanabinol (THCA).

Imprimir

Legalizar maconha medicinal não aumenta consumo entre adolescentes

Maconha medicinalLegalizar o uso medicinal da maconha não produz o tão temido aumento do consumo entre os adolescentes. Essa é uma das conclusões de um extenso trabalho que analisou dados de 1,1 milhão de garotos norte-americanos durante 24 anos e foi publicado na revista The Lancet Psychiatry. O estudo tenta jogar luz no controvertido debate sobre as consequências da autorização do consumo da cannabis.

Um dos principais argumentos dos críticos do uso terapêutico é que as leis que o amparam incentivam o abuso entre os jovens. Dizem que a regulação, ainda que parcial, contribui para uma redução na percepção dos potenciais danos do seu uso. Isso aumentaria o consumo – e a probabilidade de que mais adolescentes se tornem dependentes dessa e de outras substâncias. E acrescentam outro aspecto: o efeito da maconha entre os menores é especialmente perigoso porque o cérebro deles ainda está em desenvolvimento (o que não deixa de ser certo).

Imprimir

65% dos latinos aprovam uso medicinal da maconha, diz pesquisa

Maconha medicinalMaior parte dos entrevistados considra o álcool e o tabaco mais perigosos do que a maconha.

O uso terapêutico da maconha é aprovado por 65,2% dos latino-americanos, indica um estudo divulgado nesta terça-feira (23/06), em Santiago, pelo Observatório Latino-Americano de Políticas sobre Drogas e Opinião (OPDOP). O número representa um avanço de 7,8 pontos percentuais em relação aos 57,4% que apoiavam o uso no ano passado. O aumento da aprovação foi observado especialmente na Colômbia, Chile e Uruguai.

Imprimir

Óleo de maconha cura câncer de intestino de homem com expectativa de vida de apenas 18 meses

Maconha e câncer de intestinoUm paciente com câncer de intestino, dado pelos médicos com apenas 18 meses de vida restantes, afirma ter sido curado por óleo de Cannabis sativa – vulgarmente chamada de maconha.

David Hibbitt, de 33 anos, foi diagnosticado com a doença em julho de 2012 e submetido a quimioterapia, radioterapia e cirurgia para remover seu intestino grosso. Os médicos disseram que o câncer era terminal, então ele decidiu testar o óleo de maconha como um último recurso. Agora, após exames realizados em janeiro, ele diz ter sido milagrosamente curado, creditando o feito à droga.